domingo, 5 de julho de 2009

Por um Cristianismo menos Pagão

"Em Jesus temos um Homem que recusava render-se diante das pressões da conformidade religiosa. Um Homem que pregava uma revolução. Um Homem que não tolerava a hipocrisia. Um Homem que não tinha medo de provocar aqueles que suprimiram o evangelho libertador que Ele trouxera para libertar os homens. Um Homem que não se importava em despertar a cólera de seus inimigos, levando-os a preparar-se para a luta.

Onde pretendo chegar? Nisso: Jesus veio não apenas como Messias, Ungido de Deus, para libertar seu Povo das ataduras da queda.

Ele veio não apenas como Salvador, pagando uma dívida que não era dEle para quitar os pecados da humanidade.

Ele veio não apenas como Profeta, consolando aflitos e afligindo acomodados.

Ele veio não apenas como Sacerdote, representando o homem perante Deus e representando Deus perante o homem.

Ele veio não apenas como Rei triunfante sobre toda autoridade, principado e poder.

Ele também veio como Revolucionário, rompendo o velho odre com o intuito de introduzir o novo."

(Frank Viola, Cristianismo Pagão).

Alguns posts atrás mencionei minha vontade de ler o livro Cristianismo Pagão de Frank Viola. Bem, eu lí e o livro me deu um pouco para pensar e um pouco para orar.

.
O autor aponta, sistematicamente as práticas do Cristianismo moderno (com enfase nas denominações protestantes), que tem origem não na Bíblia, mas em ritos e filosofias pagãs. O que foi surpreendente para mim é que muitas dessas práticas estão profundamente enraizadas na forma como se pensa em igreja hoje. A organização liturgica das celebrações é um bom exemplo. O próprio sermão/estudo/pregação que consiste no cerne do culto protestante segue muito mais moldes da oratória e retórica de filosofos gregos do que moldes bíblicos.
.
Bem, como solução para o problema o autor propõe uma revolução, um retorno a um Cristianismo verdadeiramente neo-testamentario firmado na liderança soberana de Cristo sobre o seu corpo, uma alternativa interessante, sem dúvida.
.
Não concordei com todos os pontos e argumentos do autor, ainda assim o livro é BASTANTE provocativo, faz o cerebro e o coração fervilharem e levanta algumas perguntas importantes. Um ponto positivo que pude observar é que algumas igrejas protestantes parecem ter 'sacado' o problema (ou parte dele), e vejo por aí muitos Cristãos e igrejas inserindo em sua doutrina e liturgia, aspectos mais condizentes com o novo testamento sem 'incinerar' 200 de história da Igreja Cristã (que, pela Graça de Deus, possui diversas 'bolas dentro' e não apenas 'bolas fora'). Eu por exemplo, não pretendo abandonar a igreja da qual sou membro e, de forma revolta, fundar uma nova comunidade Cristã no fundo do meu quintal. Ainda assim, repito, o livro me deu muito o que pensar e espero que me ajude a refletir e crescer na fé.
Não se contentem com meu breve comentário, leiam a coisa toda AQUI: "CRISTIANISMO PAGÃO" (versão traduzida por Railton de Souza Guedes)
é isso aí amig@s
A Paz de Cristo




4 comentários:

[denise abramo] disse...

poutz!

depois dessa instigante introdução, preciso realmente ler o livro! valeu, emiliano!

=)

[e que bacana o seu blog!]

há braços,

::
denise

K-roll disse...

Ow....fiquei tb com vontade de ler!!! Vou baixar o pdf e fazer um livrinho pra mim! E ainda bem que vc não leva a sério mesmo aquela história de fundar a " 1ª comunidade cristão nudista libertária" Ainda bem....hehehehehhe

Emiliano M disse...

Denise e K-roll! Leiam mesmo o livro, vale a pena!

Denise, também já dei uma olhada no seu blog, parece bem legal!

Paz de Cristo

silas fiorotti disse...

Eu gostei muito desse livro, é bem provocante. Postei um comentário no meu blog:
http://disturbiossociais.blogspot.com/2009/08/as-raizes-pagas-do-cristianismo-moderno.html
Espero você no sábado para conversarmos sobre ele.
Um forte abraço,